As 10 melhores lutas do UFC de todos os tempos

As 10 melhores lutas do UFC de todos os tempos

No UFC, uma grande luta nunca está longe. A organização teve seu primeiro card de luta em 1993 e, desde então, aconteceram milhares de competições emocionantes.

Foi cada vez mais forte e agora é maior do que nunca. Com tantas lutas memoráveis ​​ao longo dos anos, é muito difícil chegar ao top 10. O que todas essas lutas têm em comum é que havia muita coisa em jogo e todas foram brutais.

Há muitas coisas que podem fazer uma grande luta. O azarão pode lutar contra todas as probabilidades, pode ser um slugfest completo ou talvez seja uma competição tecnicamente perfeita com dois lutadores no topo do jogo.



Temos tudo aqui para dar uma olhada nas 10 melhores lutas do UFC de todos os tempos. Também incluímos alguns links de vídeo para que você possa reviver o caos. Vamos começar!

1. Forest Griffin contra Stephen Bonnar (TUF Finale 1)

Na final do The Ultimate Fighter em 2005, o vencedor receberia um contrato do UFC. Havia muito em jogo com os dois homens lutando por suas carreiras e tentando fazer seu nome no esporte.

Desde o primeiro sino, você pode ver o quanto isso significou para os dois lutadores. Foi uma batalha cara a cara que durou 15 minutos inteiros. As ovações em pé geralmente acontecem no final de uma apresentação, mas esta começou após o sino do primeiro round e não parou realmente.

Mesmo cansados ​​antes do final do 3º round, eles nunca pararam de tentar nocautear um ao outro. Quando o sinal final tocou, os dois estavam exaustos e ensanguentados.

Nenhum dos dois merecia perder, mas foi Griffin quem chegou perto, mas na decisão unânime. Tamanha era a épica luta que o UFC ofereceria contratos para os dois lutadores. Os dois iriam entrar no Hall da Fama do UFC.

2. Jon Jones vs. Alexander Gustafsson (UFC 165)

Esta luta foi a 6ª defesa de Jon Jones ao título dos meio-pesados. Bones estava entrando nisso depois de uma sequência de nove vitórias consecutivas com um recorde geral de 18-1. Era justo dizer que ele era o grande favorito.

Era um título azarão que Gustafsson logo colocaria à prova. Ele merecia respeito com um recorde de 15-1 de sua entrada na competição. Ele mostrou que pertencia a este nível imediatamente, colocando pressão sobre Jones com ataques repetidos.

Jones foi cortado cedo e parecia que ele não estava preparado para o que Gustafsson poderia atirar nele. Para a surpresa de todos, ele conseguiu passar pela infame defesa de queda de Jones, embora Jones se recuperasse rapidamente.

O resto da luta foi uma batalha de frente e para trás que mostrou muito coração e coragem. No final da luta, o rosto de Jones estava ensanguentado e os dois homens estavam exaustos.

A decisão foi tomada com muitos sentindo que o azarão já havia feito o suficiente, mas os juízes discordaram, com Jones declarado o vencedor. Não era o resultado que ele queria, mas o lutador sueco empurrou Jones mais longe do que qualquer um esperava em uma batalha épica.

3. Chuck Liddell x Wanderlei Silva (UFC 79)

Muitas vezes, nos esportes de combate, a luta não corresponde ao exagero. Você deseja desesperadamente ver o concurso, apenas para que ele não seja entregue. No UFC 79, porém, aconteceu o contrário.

O motivo dessa luta ter sido tão esperada foi porque os dois lutaram em diferentes organizações anteriormente, com Silva no Pride e Liddell lutando no UFC. Por fim, foi o UFC quem conseguiu aproximar os dois no octógono.

O início da luta foi muito cauteloso, pois nenhum dos lutadores estava preparado para lutar. Isso saiu pela janela quando as coisas explodiram em vida com pouco mais de um minuto para ir no primeiro. Ambos os homens estavam se balançando com força. Essa ação continuou na 2ª rodada em uma competição onde Liddell começou a ganhar a vantagem.

Ambos os homens ainda foram capazes de acertar golpes significativos, mas Liddell continuou a afirmar seu domínio no que acabou sendo uma grande vitória para a lenda do UFC. Foi uma época em que o entusiasmo pré-jogo foi realmente cumprido, com os dois homens recebendo crédito por uma competição maravilhosa.

4. Frankie Edgar contra Gary Maynard III (UFC 136)

Em 2011, esses lutadores já haviam se enfrentado duas vezes, sendo que a primeira foi para Gary Maynard por decisão unânime e a segunda foi um empate por decisão dividida. Foram grandes lutas, mas a terceira batalha venceria a todos.

Maynard tinha até agora levado a melhor nas duas primeiras lutas e parecia que ele estava destinado a uma vitória no primeiro round quando acertou um uppercut enorme. Uma enxurrada de socos se seguiu e Edgar de alguma forma conseguiu se manter em pé.

Parecia que ele havia recuperado os sentidos e se recuperado quando Maynard acertou outro tiro enorme com pouco menos de dois minutos restantes. Desta vez, Edgar caiu e o fim certamente parecia próximo.

Maynard não foi capaz de imobilizá-lo, mas ainda assim conseguiu acertá-lo com outro golpe violento e um joelho, que quebrou o nariz de Edgar. Ele sobreviveu e a 2ª e a 3ª rodadas foram a limitação de danos de Edgar, boxeando e movendo-se para evitar ataques.

Faltando apenas um minuto para o fim do 4º round, desta vez seria Edgar quem acertaria um grande uppercut. Ao contrário de seu oponente, ele não iria perder uma oportunidade e terminar o trabalho. Foi uma recompensa merecida pela incrível bravura que demonstrou no 1º round.

5. Diego Sanchez vs. Clay Guida (TUF 9 final)

Se houvesse uma lista das melhores partidas de todos os tempos para uma luta no UFC, então esta seria, sem dúvida, a número um. O árbitro gritou vamos para a guerra e foi exatamente isso que os dois homens fizeram, enquanto avançavam um contra o outro como cães presos por uma coleira.

Sanchez e Guida ficaram parados balançando como selvagens até que Clay Guida se machucou e teve que recuar. Foi incrivelmente intenso e a largada sem fôlego continuou com Guida conseguindo acertar alguns golpes e reivindicar uma queda.

Guida parecia estar ganhando vantagem quando Sanchez acertou um chute doce na cabeça que parecia que poderia encerrar a luta. Ele conseguiu sobreviver, embora continuasse a receber golpes.

Grande parte do 2º round foi disputado no chão, mas ainda assim foi brutal. O ritmo abrandou um pouco na 3ª, mas isso não foi surpresa dada a intensidade. Sanchez iria vencer por decisão dividida, mas os fãs que assistiam sabiam que tinham acabado de ver uma luta que nunca esqueceriam.

Veja mais sobre - Os 10 maiores eventos esportivos da história

6. Amanda Nunes vs. Chris Cyborg (UFC 232)

Normalmente, para uma luta ser considerada grande, ela precisa durar pelo menos alguns rounds. O confronto entre Nunes e Cyborg não durou nem um minuto. Entrando na luta, parecia que Cyborg era imbatível. Ela tinha um recorde de 20-1 com a única falha em seu currículo de MMA sendo uma derrota em sua primeira luta 13 anos antes.

Então veio Amanda Nunes, uma candidata genuína, mas alguém cujo recorde de 16-4 não era tão impressionante. Na luta, porém, Nunes mostraria seu valor em um minuto brutal de ação.

Os dois começaram a trocar golpes quase imediatamente, mas por volta de 25 segundos, Nunes acertou seu primeiro grande tiro. Cyborg foi abalado, mas reagiu indo para a ofensiva. Sete segundos depois, ela foi derrubada por outro tiro enorme.

Nos segundos que se seguiram, Nunes derrubou o adversário mais duas vezes. Cada vez que Cyborg mostrou um espírito guerreiro para voltar a balançar. O próximo tiro, no entanto, acertou em cheio em sua mandíbula. Ela caiu novamente e o árbitro chamou a luta.

Foi uma atuação eletrizante de Nunes, que se tornou a primeira mulher na história do UFC a segurar dois cinturões, somando a coroa de pena de Cyborg ao campeonato de peso galo que já conquistava.

7. Chuck Liddell x Tito Ortiz I (UFC 47)

Este é possivelmente o melhor par de lutas da história do UFC. Os dois se conheceram no UFC 47. Eles foram amigos próximos, mas o mundo competitivo do UFC acabou com isso. Liddell era o azarão, mas logo provaria seu valor.

Ele acertou uma série de golpes pesados ​​no primeiro assalto que feriu Ortiz gravemente. Ele nunca poderia recuperar o ímpeto. Liddell o prendeu contra a gaiola e depois de uma série de golpes pesados, o árbitro encerrou a disputa.

encobrir tatuagens de nomes no pulso

Os dois voltariam a se encontrar no UFC 66. A essa altura, os velhos amigos já haviam se transformado em inimigos. Foi mais uma luta brilhante com Liddell vencendo mais uma vez por nocaute. Ortiz acabaria por se vingar em 2018 com um nocaute no primeiro round em sua terceira e última luta.

8. Anderson Silva x Chael Sonnen (UFC 117)

Indo para o UFC 117 Anderson Silva tinha uma seqüência de 11 vitórias consecutivas e parecia imbatível. Ele foi confrontado com o excelente Chael Sonnen, que aproveitou a oportunidade para falar muito mal antes do concurso.

Poucos deram uma chance a Sonnen, mas ele logo provou que muitas pessoas estavam erradas desde o primeiro round. Ele dominou o campeão por quase toda a luta e uma decisão unânime a seu favor parecia inevitável.

A contagem de golpes pesava enormemente para Sonnen, que estava prestes a causar uma grande reviravolta. O final, entretanto, mostrou que você nunca pode ter certeza da vitória até que o sino final toque.

Faltando pouco mais de 100 segundos para o término da luta, Sonnon errou no chão e Silva se lançou sobre ele, travando-o com um armlock de triângulo. Silva não estava em sua melhor forma durante a luta, mas mostrou sua atitude de nunca dizer morrer.

Os dois lutaram novamente alguns anos depois, mas desta vez Silva venceu por um nocaute técnico muito mais decisivo no 2º round.

9. Brock Lesnar x Shane Carwin (UFC 116)

Brock Lesner esteve envolvido em algumas lutas incríveis no UFC, mas nenhuma foi melhor do que sua batalha com Shane Carwin. No primeiro round, Carwin dominou completamente e parecia que a luta iria acabar a qualquer momento.

Lesner de alguma forma sobreviveu e ficou aliviado ao ouvir o sino para o final da rodada. Na 2ª rodada, a situação se inverteu. Lesner investiu contra Carwin e o derrubou, então infligiu algum ground and pound de qualidade.

Lesner acertou seu oponente em um triângulo de braço e não iria deixá-lo se recuperar. Ele gradualmente apertou até que Carwin não teve opção de bater. Lesnar mostrou que era um campeão mundial digno.

10. Zhang Weili vs. Joanna Jedrzejczyk (UFC 248)

Uma luta que ficou famosa por uma imagem que mostrava a brutalidade do esporte. Depois da luta, um grande vergão cresceu na cabeça de Jedrzejczyk, o que era um sinal de quão épico tinha sido.

Foi uma luta que durou até o fim, com Weili tomando a decisão. O que precedeu essa decisão foi uma luta tecnicamente perfeita entre duas mulheres no topo do jogo.

Ambos mostraram uma dureza incrível e a multidão amou cada segundo disso. Foi uma das lutas mais recentes desta lista, mas que merece o seu lugar como um dos clássicos de todos os tempos.

Veja mais sobre - Os 10 esportes radicais que todo homem precisa experimentar